sexta-feira, 5 de setembro de 2014

A meta de inflação no Brasil mudou


A mentira vai-se tornando verdade...
No corpo da matéria, reconhece-se que a meta é de 4,5% a.a. e, na verdade, o que houve foi um estouro da banda superior da meta. Então, como se explica o título acima? Má-fé?

7 comentários:

  1. Por quê vocês cancelaram os posts do Economista X(já sabem: 10 best and worse brazilian economists ever)?

    ResponderExcluir
  2. Isso não quer dizer nada. É só um jornalista que não sabe a diferença entre a meta e a banda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso quer dizer muito.

      Mesmo considerando que o jornalista é uma múmia, há que se lembrar que, ao menos em tese, as manchetes são aprovadas pelo editor, que tem um entendimento completo da diferença entre meta e banda.

      Em tempo, corrigiram a manchete:

      "Preços sobem 0,25% em agosto e inflação fica um pouco acima do teto da meta" atualização: 12:26 hs

      Mas no http://dinheiropublico.blogfolha.uol.com.br/

      Alta de preços monitorados pelo governo JÁ supera meta de inflação

      O advérbio fala bastante a respeito da manchete. Custo a crer que o editor do blog não saiba que o IPCA JÁ vem continuamente estourando a meta de 4,5% desde pelo menos janeiro de 2010.

      O emprego do advérbio "já" se justificaria se o estouro da meta fosse um fato recente e não recorrente.

      Não é preciso ter cursado graduação em economia para saber a diferença entre meta e banda.

      Excluir
  3. Escrevi sobre isso há algum tempo...

    "O centro da meta e a pobreza do debate sobre inflação no Brasil"

    http://www.vitorwilher.com/economia/inflacao/o-centro-da-meta-e-a-pobreza-do-debate-sobre-inflacao/

    Parece que uma mentira contada mil vezes acaba virando verdade...

    ResponderExcluir
  4. Que meta? Vocês ainda não se tocaram que o sistemas de metas de inflação no Brasil JÁ ERA?
    Então, vejam o post no facebook da Dilmona: https://www.facebook.com/video.php?v=737932236260370

    Banco Central sem autonomia => impactos sobre a credibilidade => ineficácia do SMI. Alias, nem é uma questão de eficiência, mas sim de conceito, de definição. SMI não combina com BACEN político. Então, forget about it! Essa meta aí de que estão falando é CONVERSA PRA INGLÊS VER.
    Jogaram NO LIXO todos os esforços de muitos e muitos anos para construir a credibilidade do BACEN após aqueles montes de planos econômicos estúpidos dos anos 1980.
    Vamos juntos virar a Bolívia! VIVAAAA

    ResponderExcluir
  5. Mas, vem cá...
    cadê o adblock?

    ResponderExcluir